Cel/Whats: 54-98100-9801

Quem Sou

HomeQuem Sou

Saulo Wanderley

Saulo Wanderley - Pauta

Saulo Wanderley


2017

Sempre conduzindo a Pauta Arte & Comunicação, que entrou em seu 28o. ano de existência, passou a ministrar cursos no seu home studio em Farroupilha, e ampliou o número de alunos online, além de passar as aulas práticas para os estúdios da Noise Audio em Farroupilha e Caxias do Sul. Trabalha atualmente em uma plataforma de computer music envolvendo a grade curricular sugerida por estudos da AES – Audio Engineering Society Brasil.

2016

Continuou a ampliar, com a Pauta Arte e Comunicação, suas atividades na serra gaúcha, se tornando também colaborador da revista Violão+ de São Paulo. Compôs arranjos para quarteto de cordas de seu aluno Jeverson Carelli em seu primeiro CD autoral, gravado nos estúdios da produtora Noise Audio em Caxias do Sul. Realizou workshops  de produção musical nas lojas Akustica Musical e Hot Music em Caxias do Sul.

2015

Criou diversos cursos de produtos da Apple em Farroupilha no Jardim Elétrico e em Porto Alegre, na Guitar School, dentre outras escolas. Paralelamente, iniciou trabalhos como colaborador da revista Música&Mercado, sob a edição de Daniel Neves, também CEO da Anafima – Associação Nacional da Indústria da Música, a quem se filiou. Fixou residência em Farroupilha/RS, e parcerias com a Escola Pública de Música Farroupilhense.

2014

Ano de retorno a Porto Alegre, convidado para ministrar o curso de Logic Pro X no IGAP, Instituto Gaúcho de Áudio Profissional, de fevereiro a maio. Após o término do curso, iniciou outro do mesmo aplicativo da Apple, no Estúdio Onzi, se tornando Apple Developer. Iniciou um período de constantes visitas a Farroupilha, na serra gaúcha, a convite da Gravadora e Produtora Jardim Elétrico, para ministrar cursos.

2013

Continuou reforçando seus contatos na área de ensino, sendo membro da CAEM – Centro de Apoio às Escolas de Música, sob a direção de Valéria Forte, sendo apresentado à renomada psico pedagoga internacional Violeta Hemsy de Gainza. Iniciou cursos de notação musical no seu home studio, usando o Sibelius, Encore, e DAWs como GarageBand, Logic Pro X, Sonar, SoundForge e outros aplicativos.

2012

Montou seu primeiro home studio em um apartamento do bairro Mandaqui em São Paulo, e reuniu equipamentos dos parceiros do mercado, comprados ou cedidos por empresas como Equipo, Roland, Krocodile Pop, Free Note, Quanta Music e outros. Iniciou seu trabalho como tradutor e revisor técnico da revista britânica Sound On Sound, na sua versão brasileira, sob o comando do country manager Marcelo Assunção.

2011

Foi convidado pela Secretaria de Cultura do Estado de São Paulo para integrar a banca examinadora do PROAC, que recebeu mais de 400 projetos para gravação de CD autoral, com destaque para Ricardo Vignini, Silvia Handroo, Elefantes, Algaravia, Quarteto Contemporâneo, Fellini e muitos outros artistas e bandas de todos os gêneros. Encerrou seu ciclo de Microsoft Windows adquirindo seu primeiro iMac.

2010

Continuou como coordenador pedagógico do projeto CMIJ – Centro Musical de Inclusão Para Jovens, que atingiu a marca de mais de 1.500 alunos de instrumentos musicais, produção musical e DJ, no bairro do Bexiga em São Paulo/SP. A Pauta Arte & Comunicação coordenou os trabalhos de 12 professores e 4 estagiários, e ampliou a duração do projeto que a princípio se estenderia por apenas 9 meses.

2009

Coordenador pedagógico do Projeto CMIJ – Centro Musical de Inclusão Para Jovens, uma realização da ONG Dynamite e da Pauta Arte & Comunicação, a iniciar suas atividades em julho de 2009, com aulas de instrumentos e produção musical. Editor da revista ON&OFF, que retorna em formato eletrônico ao mercado musical. Continua suas atividades como jornalista especializado em música em vários sites e blogs.

 

2008

Iniciou os trabalhos do Projeto EVA – Estúdios Virtuais Aplicados, como segmento lógico do Toque Igual ao Disco. O EVA consiste em um sistema desenvolvido em linguagem C++ e áudio digital, capaz de conduzir os alunos desde a iniciação e formação musical até a distribuição de suas produções pela internet, passando pelas fases de formação e prática de conjunto online, pré-produção e todos os degraus do caminho artístico musical.

 

2007

Pela sua participação no grupo musical experimental oTaoDoMinf recebeu o Prêmio Bolsa Estímulo Sérgio Motta de Arte & Tecnologia. A Pauta Arte e Comunicação passou a ter status de Produtora Fonográfica vinculada à ASSIM – Associação dos Intérpretes e Músicos, subordinada ao ECAD. Participou da EXPOMUSIC 2007, onde foi lançado o primeiro CD didático do Projeto Toque Igual ao Disco, com forte repercussão entre os expositores.

2006

Idealizou, produziu, compôs, gravou, mixou e masterizou para a Com a Corda Toda uma série de CDs didáticos para violão e guitarra, denominada Ritmos & Dedilhados. Os CDs foram lançados de forma precária pela aludida editora, o que motivou o começo do distrato entre a Pauta Arte e Comunicação e as editoras do grupo Imprima.

 

2004

Retornou à capital paulista, realizando, sempre através da Pauta Arte e Comunicação, trabalhos para diversas editoras e empresas atuantes nas áreas de Música e jornalismo especializado em Música. Continuou mantendo contato com o cenário musical gaúcho, através de jornalistas especializados de Porto Alegre, como o também compositor Arthur de Faria, da Pop Rock FM, as bandas Papas da Língua, Ultramen, Comunidade Nin-Jitsu, Neto Fagundes, Nei Lisboa, Fernando Noronha e outros nomes consagrados no sul do país.

 

2002

Completou o processo de informatização da linha de produção da Imprima Comunicação Editorial, continuando a editar métodos para instrumentos musicais. Co-editou a revista Futuro, para a editora Scorpion – SP. Continuou os trabalhos como colaborador da Folha de SP e revistas especializadas em música e informática. Criou, para a Secretaria de Estado da Cultura do Rio Grande do Sul, o LAMA – Laboratório de Música Aplicada, nas dependências da Casa de Cultura Mario Quintana, onde foi o responsável pela programação musical.

 

2001

Sempre trabalhando via Internet, foi se especializando no trabalho online escrevendo para os mais variados veículos da imprensa escrita e online. Iniciou a fase gaúcha do projeto Toque Igual ao Disco, editando pela Pauta Arte & Comunicação Ltda. a edição Papas da Língua, número 1 e piloto de uma série. Executou e trabalho de divulgação da edição e do projeto junto à imprensa gaúcha. Realizou intensa cobertura dos eventos culturais do I FSM, junto com a equipe do Ciranda da Informação, uma rede independente de jornalistas do Brasil e do mundo.

2000

Informatizou parcialmente a linha de produção da Imprima Comunicação Editorial, que passou a receber os trabalhos via FTP – File Transfer Protocol – e a modernizar seus métodos de edição. Aperfeiçoou o sistema de grafia musical alternativa usada no projeto Toque Igual ao Disco, que passou a ser padrão para as publicações didáticas. Iniciou o processo de criação de animação para a grafia, visando as aulas online. Editou uma série sobre MPB para o site francês www.brasilinks.com como preparação para I Forum Social Mundial.

1999

Se dividiu entre São Paulo e Porto Alegre, continuando a produção de um grande volume de métodos para violão, cavaquinho. guitarra, baixo, teclados e canto, cujo número de títulos alcançou as três centenas. Tornou-se correspondente no RS para o Café Music (SP), editora Rock Brigade (SP) e revista Música e Tecnologia (RJ).

 

1998

Passou a ser também colaborador da Folha Informática, caderno de informática da Folha de São Paulo. Com a Pauta Arte & Comunicação continuou os trabalhos didáticos para a Imprima Comunicação Editorial Ltda./SP, agora com redação e desktop publishing em PageMaker. Se transferindo para Porto Alegre, continuou a redação de matérias, textos publicitários, banners e conteúdo para o site http://www.cafemusic.com.br (revista digital A Trombeta do Café) e projeto Toque Igual ao Disco (aulas online).

1997

Continuou como consultor e redator da Proconnect e da Synthex Musical Technology. O Café Music assumia a liderança entre os sites de música brasileiros, e desenvolveu os websites das maiores empresas do mercado musical, como a gravadora Paradoxx, a Roland Brasil, Technics do Brasil, Playtech, Made in Brazil, Gang, Pride, Royal e outras, além dos sites de artistas como Toquinho e André Geraissatti.

1996

Operador e sysop do ACME BBS onde também realizou captação de anunciantes e atividades voltadas para a comercialização do formato BBS, no momento em que a Internet se tornava moda no Brasil. Com o aumento das importações de softwares e equipamentos para a música auxiliada por computador, foi convidado a ser consultor de Computer Music na Synthex Musical Technology, primeira escola especializada no assunto no país. Assumiu também como redator e soundesigner da Proconnect Tecnologia Marketing & Comunicação Ltda., que criou o site http://www.cafemusic.com.br Na Proconnect, acumulou diversas funções como a venda e desenvolvimento de websites para o mercado musical paulista e brasileiro.

1995

Editor da revista Soundcheck e colaborador de revistas especializadas em música e tecnologia de São Paulo e Rio de Janeiro. Começou a prestar consultoria em Computer Music e realizar test-drives com softwares de música. Paralelamente continuou a editar métodos para o ensino de instrumentos pela Imprima e a desenvolver e informatizar o Projeto Toque Igual ao Disco. Em Santo André/SP informatizou a escola de música All Land, e participou das atividades culturais iniciadas pelo futuro prefeito Celso Daniel.

1994

Começou a editar um encarte na revista Rock Brigade chamado Soundcheck, que abordava os lançamentos de equipamentos e instrumentos musicais. O encarte cresceu em número de páginas e anunciantes, e se tornou uma revista – Soundcheck – logo estabelecida e conhecida no mercado musical paulistano.

1993

Especializou-se em música digital e eletrônica com os compositores Aluísio Arcella (Universidade de Brasília), Raul do Valle (Campinas/SP) e Adinaldo Neves (atualmente consultor da empresa norte-americana Digidesign, desenvolvedora de software e hardware para aplicações musicais).

1992

Em ano dedicado à música, montou seu mais ousado grupo musical – o Grupo de Risco – cujo risco era reunir um quarteto de cordas com a música digital. Participaram da formação inicial Wilson Sukorski (seqüenciadores), Ana Elisa Colomar (cello, sax alto e flauta transversal), Cíntia Zanco (violino), Sílvia Handro (vocal) e Kátia Cipris (vocal e performer). O grupo estreou na casa noturna Aeroanta abrindo o show das bandas Ira! e Doctor Sin.

1991

Foi convidado a assumir como editor-chefe da revista de música ON & OFF, especializada em equipamentos e instrumentos. A revista se destacou pelas reportagens técnicas, mostrando mapas de palco, test-drive de equipamentos, entrevistas com instrumentistas e outras seções inéditas na imprensa musical do país. Foi também redator-chefe da revista Dynamite, editada no Brasil pela Dynamo Brazilie de Eindhoven, Holanda.

1990

Começou a colaborar com a revista especializada em rock Rock Brigade, onde publicava uma coluna chamada Toque Igual ao Disco, com transcrições de solos de guitarra dos expoentes do heavy metal. A coluna seria o embrião do projeto de mesmo nome. Na Universidade Livre de Música participou do projeto Música e Semiótica, coordenado pelo compositor Rodolfo Coelho de Souza. Abriu a micro-empresa Pauta Arte & Comunicação Ltda., voltada para a produção de house organs, jornais e assessoria de imprensa. Entre os clientes da Pauta figuravam a CETESB (Cia. de Saneamento Básico do Estado de SP), IRB (Instituto de Resseguros do Brasil) e outras empresas.

1989

Começou seu trabalho de composição musical de vanguarda ao lado de Wilson Sukorski – compositor paulistano – criando os grupos oTaoDoMinf, NICs (Newly Industrialized Countries) e outras formações. Sua composição Both Around The Clock estreou mundialmente no MASP – Museu de Arte de Sâo Paulo – no Festival Música Nova em 23 de agosto recebendo críticas positivas e solidificando sua posição na cenário musical paulistano.

1988

Em primeiro de maio deste ano a Folha publicou uma extensa reportagem de sua autoria no caderno de domingo, sobre ensino musical. Com as denúncias comprovadas, foi exonerada toda a diretoria do CENP – Coordenadoria de Estudos e Normas Pedagógicas – da Secretaria de Educação do Estado de SP. Caiu também a editora de Educação da Folha, tendo a assumido a jornalista Laura Capriglione, mais tarde responsável pela reforma editorial do jornal Notícias Populares. Recebeu Menção Honrosa da então Secretaria da Cultura de SP Beth Mendes, pela sua participação no Festival de Campos do Jordão como compositor.

1987

Criou uma Oficina de Musicalização para crianças que foi ministrada em escolas infantis de São Paulo como a Suruê, Passinho Inicial, e em escolas que adotam a Pedagogia Waldorf. Iniciou uma série de artigos na Folha de São Paulo sobre ensino musical, apontando a existência do curso colegial técnico de música, boicotado pelo lobby dos conservatórios de música pagos.

1986

Foi contratado como Gerente de Cursos Musicais pela Imprima Comunicação Editorial, e assumiu a direção da escola da editora – a Com a Corda Toda Cursos de Música – coordenando uma equipe de professores que aplicavam seus métodos didáticos. A escola reuniu quase duas centenas de alunos no tempo recorde de 9 meses, resultado de seu trabalho também como divulgador na imprensa.

1985

Começou uma série de colaborações com veículos da imprensa especializada em música, como a revista Música, Jornal de Pinheiros, além de intensificar sua formação como músico estudando com o arranjador Abrão Chacamovitz do Berklee College of Music (Chicago) e Harmonia, com o maestro Hans Joachim Koellreutter.

1984

Continuou a editar métodos didáticos para instrumentos de corda na Imprima Comunicação Editorial, e a lecionar em escolas de música da capital paulista como o Conservatório Morumbi, Conservatório Marcelo Tupinambá, Grupo AMA e outras.

1983

De volta a São Paulo/SP, editou seu primeiro método para violão – Toque Já – pela Imprima Comunicação Editorial Ltda. Foi professor do Grupo AMA, ao lado de nomes como Flávio Pimenta (bateria, banda Joelho de Porco), Cândido Serra (violão, grupo D’Alma) e outros músicos paulistanos.

1982

Foi professor e coordenador da Escola Livre de Música (Campinas/SP), onde montou uma equipe que usava suas transcrições musicais para o ensino.

1979

Em Campinas/SP trabalhou tocando em clubes como o Tênis Clube de Campinas, e montou seu segundo grupo com Gustavo Rebois (vocal), Zezé Rebois (baixo) e Jorge Curi (bateria).

1978

Trabalhou como técnico de som de Guilherme Arantes, participando das gravações do disco com a canção Amanhã, que foi tema de novela da TV Globo. Participou de turnês pelo interior paulista com a banda do cantor.

1977

Foi assessor de imprensa do Núcleo Música Nova, destacando-se na divulgação da música erudita contemporânea nos Festivais Música Nova, sob a coordenação de Gilberto Mendes (SP/SP). Estagiou na Empresa Folha da Manhã (mais tarde Grupo Folha) cobrindo a área cultural no jornal Notícias Populares.

1976

Foi membro fundador do Núcleo Música Nova de São Paulo, dirigido pelo maestro, compositor e engenheiro acústico Conrado Silva, que seria seu professor pelos anos seguintes.

1975

Ganhou o prêmio APCA – Associação Paulista dos Críticos de Arte – de Melhor Música para coreografia com o espetáculo Pulsações, direção de Célia Gouveia e Maurice Vaneau no Teatro Galpão (SP/SP).

1974

Estreou profissionalmente como sonoplasta e compôs a trilha do espetáculo As Religiosas, sob a direção de Celso Nunes no grupo teatral Teatro Macário, em São Paulo/SP.

1973

Compôs junto com Pedro Milliet a trilha de um sarau com poesias musicadas de Cecília Meireles no grupo de teatro do Colégio Rio Branco (SP/SP). A trilha recebeu elogios de Paulo Autran.

1970

Formou seu primeiro grupo musical em Belo Horizonte – o Pandemônio – cuja estréia no teatro do Instituto Padre Machado foi noticiada e bem recebida por uma das primeiras edições da revista Rolling Stone brasileira.

CONHECIMENTOS DE SOFTWARE

Sonar, SoundForge, Sibelius, Cubase, Logic Pro X, Jam Origin MIDI Guitar. InDesign, PageMaker, CorelDraw, CorelPaint, Pixelmator, iWeb, Dreamweaver, iWork, FTP, WordPress.

HABILIDADES ESPECÍFICAS

– Vivência e administração de conflitos entre setores editoriais e comerciais dentro de veículos de comunicação.

– Divulgação de atividades culturais junto aos órgãos da imprensa, criação de house organs e assessoria de imprensa especializada em música para empresas, fundações, associações e eventos.

– Formação em música eletrônica, concreta e eletroacústica, com foco na Composição & Arranjos, Dodecafonismo e Serialismo.

– Tradução, síntese e adaptação de matérias em inglês e espanhol, redação em inglês, conhecimentos de francês.

– Criação de grafismos em CorelDraw, Pixelmator, Graphic e editoração eletrônica no InDesign.

– Criação de projetos de aulas online, conteúdo de sites, e sua divulgação.

– Instrumentista (violão e guitarra). Atualmente usa as guitarras Tagima, com captador Roland GK-3 e módulo VG-99, dentre outros periféricos para guitarra.

ESCOLARIDADE

1979/1982 – Composição & Regência – Departamento de Música da UNICAMP

1974/1976 – Jornalismo – Faculdade de Comunicação Social Cásper Libero

1971/1973 – Colegial Clássico – Colégio Rio Branco/SP

1967/1970 – Ginasial – Colégio Anchieta/BH

OUTROS CURSOS

2001 – Ciclo de Estudos de Direito Autoral – OAB/RS Comissão de Propriedade Intelectual

1991 – Diagramação e Desktop Publishing – SENAC (SP)

1990 – Música & Semiótica – Universidade Livre de Música (SP)

1988 – Extensão Universitária em Musicoterapia – Faculdade Marcelo Tupinambá (SP)

1985 – Arranjo – Prof. Abrão Chacamovitz – Conservatório do Morumbi (SP)

1977 – Música Erudita Contemporânea – Prof. Conrado Silva (SP)

1969 – Violão Erudito – Escola de Música Agostin Bob (BH)